Andrei Barros Correia em 30/12/11

A shinig version, maybe a little bit over, but good… Posts relacionados:You know I´m no good, por Amy Winehouse.Rehab, de Amy Winehouse.

Continue lendo sobreLullaby of Birdland, por Amy Winehouse.

Vos aveludada, que varia entre tons altos e baixos, afinadíssima. Posts relacionados:Summertime, por Sarah Vaughan.Lullaby of birdland, por Sarah Vaughan.

Continue lendo sobreLullaby of Birdland, por Sarah Vaughan e Clifford Brown, em 1954.

Andrei Barros Correia em 29/12/11

Blues muito bonito. Voz clara e grave de Nina Simone e gaita e baixo marcantes. Blues leve, simples e bem executado. Posts relacionados:I put a spell on you, por Nina Simone.

Continue lendo sobreBlues for Mama, por Nina Simone.

O campo das postulações religiosas travestidas em inodora e inerte ciência assemelha-se a essa praga contaminante que são as posições apolíticas. Estas últimas são mais fáceis de se perceberem, porque realmente estão por toda parte e seus disfarces são deveras precários. A postulação salvífica tecnológica é, digamos assim, mais sutil. Demora mais a percebermos que […]

Continue lendo sobreMiguel Nicolelis e o postulado religioso disfarçado em ciência.

Andrei Barros Correia em 24/12/11

Posts relacionados:Sem posts relacionados.

Continue lendo sobreAquario.

Andrei Barros Correia em 24/12/11

Convencionou-se chamar nova classe média ao grupo de pessoas que ascenderam da pobreza profunda para a possibilidade de comprarem roupas, bens de consumo duráveis e um pequeno imóvel financiado. É coisa recente e deve-se às políticas públicas inauguradas pelo ex-Presidente Lula. Essa nova classe menos baixa trouxe uma forte demanda por bens e serviços, coisa […]

Continue lendo sobreNova classe média e a segunda etapa das demandas.

Andrei Barros Correia em 24/12/11

Posts relacionados:Sem posts relacionados.

Continue lendo sobreGood Morning Vietnam, por Jefferson Airplane.

Andrei Barros Correia em 24/12/11

Moto, estradas nas montanhas, isso implica manutenção de motocicletas. Posts relacionados:Sem posts relacionados.

Continue lendo sobreSidarta, take a look at that.

Não o posso chamar de ladrão – e não o faço aqui – porque não tenho provas e porque seria um tanto vulgar além da medida. Mas, de patético ou de farsante, posso? Bem, o sujeito é acadêmico das academicices franco-brasileiras. O termo qualificativo, assim junto, é de significação complexa, pois vai além da mistura […]

Continue lendo sobrePosso chamar Fernando Henrique Cardoso de patético? Ou de farsante?

Andrei Barros Correia em 22/12/11

Acabo de ler A Privataria Tucana: é demolidor e não encontro adjetivo melhor que esse, por mais lugar-comum que seja. O livro é um sucesso editorial, para nossos padrões, porque em menos de um mês venderam-se 120.000 exemplares. Nada obstante, a chamada grande imprensa permanece no profundo silêncio com que recebe qualquer coisa inconveniente para […]

Continue lendo sobreA Privataria Tucana, livro de Amaury Ribeiro Júnior.