Andrei Barros Correia em 23/06/12

Encena-se uma conferência mundial, no Rio de Janeiro, sobre meio-ambiente e sustentabilidade, essa última a palavra fetiche atual. A reunião é uma má encenação teatral, porque não chega perto de ser arte. É teatro no sentido de disfarce, de cenário puro e simples para o desfile de personagens desinteressantes, com falas artificiais. Esse tipo de […]

Continue lendo sobreRio + 20: teatro verde.

Andrei Barros Correia em 12/06/12

A maior banda de rock. Guitarra de Page suave, precisa e agressiva nas medidas certas. Plant, o cantor que só teve algo semelhante em Ian Gillan. P. Jones, o baixista que era o maior músico da banda. E… Jonh Bonham, o cara que batia seco e violentamente como nenhum. Posts relacionados:Going to California, por Led […]

Continue lendo sobreStairway to heaven, por Led Zeppelin.

Andrei Barros Correia em 07/06/12

Uma pérola. Posts relacionados:Feira de Mangaio, de Sivuca, por ele e a Oquestra Sinfônica da Paraíba.Feira de mangaio, de Sivuca, por ele e a Osquestra Sinfônica da Paraíba.

Continue lendo sobreFeira de Mangaio, por Sivuca, Dominguinhos e Oswaldinho

Andrei Barros Correia em 07/06/12

Posts relacionados:Enquanto engomo a calça, de Ednardo.Mulher nova, bonita e carinhosa, por Amelinha.

Continue lendo sobreA palo seco, por Amelinha, Ednardo e Belchior.

Andrei Barros Correia em 03/06/12

A proposta mais interessante que já vi, para interpretação do conhecido postulado de Nietzsche, é de Deleuze. Ele diz que os deuses morrem de rir quando um deles afirma-se único. Poucas coisas fazem rir mais que a afirmação de desigualdade a partir de aspectos que, ao contrário, embasam precisamente a igualdade. Se fosse um deus, […]

Continue lendo sobreOs deuses morrem de rir.