Andrei Barros Correia em 19/08/12

As maiores violências são as mais ricas em sutilezas, assim como as maiores amabilidades. Falso paradoxo, pois a sutileza é potência ambivalente e pode ser em ato qualquer coisa, sempre mais que ela realizada mediante brutalidade. A censura positiva é brutal, ela desce com o peso da estupidez a interditar o que não pode ser […]

Continue lendo sobreA censura ao silêncio.

Andrei Barros Correia em 10/08/12

Este é o depoimento de um preso político, frei Tito de Alencar Lima, 24 anos. Dominicano. (redigido por ele mesmo na prisão). Este depoimento escrito em fevereiro de 1970 saiu clandestinamente da prisão e foi publicado, entre outros, pelas revistas Look e Europeo. Fui levado do presídio Tiradentes para a “Operação Bandeirantes”, OB (Polícia do […]

Continue lendo sobreO depoimento de Frei Tito de Alencar.

Andrei Barros Correia em 09/08/12

Cuando el sol tan rojo cifrado en su nombre Lo atacó de frente como una condena Llevaba en su cuerpo las mil y una noches, La última copa, la última cena. Se vistió despacio, en cámara lenta, Se miró al espejo arqueando una ceja, Suspiró profundo y sacó la cuenta, Tan fino, tan dulce, tan […]

Continue lendo sobreUn día de furia, de Daniel Robles.

Andrei Barros Correia em 08/08/12

Era comum, quando se mandava um carro para ser lavado, polido e aspirado por dentro, que ele voltasse com folhas de jornal a recobrirem os tapetes. O hábito, arraigado, tem sido abandonado aos poucos, mas ainda persiste aqui e acolá. Onde levo o meu carro para lavar, a folha de jornal sempre está lá, a […]

Continue lendo sobreDetalhe chinês.

Andrei Barros Correia em 04/08/12

Posts relacionados:At the sunny side of the street, por Diana Krall.

Continue lendo sobreDiana Krall no Rio, em 2008.