Andrei Barros Correia em 20/07/16

O tempo cotidiano tornou-se algo confuso, desde o final da primeira grande guerra mundial. À sua aparente aceleração, percebida na sucessão vertiginosa de acontecimentos, corresponde, vistas as coisas mais ao de longe, o estabelecimento de uma espécie de presente contínuo. Esta aceleração de acontecimentos foi tamanha que eles perderam significação na mesma progressão e perderam […]

Continue lendo sobreTerror espetacular e presente contínuo.