Um Pouco De História

Andrei Barros Correia em 01/12/17

A regressão lenta e gradual da hegemonia estadunidense é o processo mais perigoso que já viveu a humanidade. São comuns as comparações entre os impérios romano e estadunidense, no que têm de paralelismos nas suas criações, apogeus e fases de declínio, mas o que se prefigura agora é diferente, para além das diferenças óbvias que […]

Continue lendo sobreBrasil a caminho de ser Líbia.

Andrei Barros Correia em 29/02/16

Há um processo nítido de golpe de Estado, levado a cabo pelo conúbio entre a imprensa e o judicial. O segundo faz tudo para derrubar a Presidenta da República a partir de qualquer argumento, por mais pueril que seja, além de tentar a humilhação do ex-Presidente Lula e sua interdição política, também a partir de […]

Continue lendo sobreVariante da síndrome de Estocolmo.

Não pretendo avançar até conclusões, apenas indicar algo interessante e sugerir possibilidades. Fato é que reformados pentecostais e neo-pentecostais tornam-se, mais e mais, filo-judaicos. Há poucos dias, aconteceu algo notável, em São Paulo: o conhecido pastor Edir Macedo, dirigente de uma igreja neo-pentecostal, inaugurou um imenso templo que se pretende réplica do abatido de Salomão, […]

Continue lendo sobreO Messias, ou veio, ou ainda virá, ou não virá. As proposições são reciprocamente excludentes…

Antes de qualquer coisa, convém uma pequena advertência. Conversando com um amigo sobre o segundo pilar apontado no título, ouvi que Cabo Anselmo lembrava imediatamente delação. Sei bem disso, mas a referência a Anselmo, como inspirador de certo discurso, não tem a ver com seu caráter delator, mas com a incitação irresponsável a um esquerdismo […]

Continue lendo sobreOs três pilares do golpe: udenismo, esquerdismo Cabo Anselmo e judiciário.

Andrei Barros Correia em 23/11/13

Os fatos históricos ditos relevantes podem ter por trás acidentes e aleatoriedades, mas isso é raro como causas principais.  Lee Oswald é hipótese para o assassinato de John Kennedy digna do nível mental da sociedade de massas triunfante. Ele, nas suas duas variantes, é pueril demais. Como agente a serviço do comunismo patrocinado pela URSS, […]

Continue lendo sobreJFK: as duas hipóteses plausíveis.

Se está acabando el partido, vamos tres a cero, nos ganan los brasileños. En el salón de mi casa veo la indignación de mis compañeros ante la derrota anunciada. Ya no hay remedio: perdemos. Me cuentan cómo se ha desarrollado el juego, hablan de suerte y desgracia, al parecer, las “canarinhas” están en una buena […]

Continue lendo sobreCuando el fútbol se convirtió en el reflejo de la realidad económica.

Andrei Barros Correia em 29/05/13

Um texto de Alcides Moreira da Gama O amigo e mestre Andrei solicitou-me escrever algo sobre Machado de Assis. Nos tratamos mutuamente assim: mestre. Mas o discípulo sou eu. É um desafio e tanto. E, sinceramente, não sei se sou capaz. Mas, mesmo cônscio disso, vá lá, aceitei o desafio. O que dizer sobre Machado? […]

Continue lendo sobreUma conversa com Machado. Por Alcides Moreira da Gama.

Andrei Barros Correia em 25/05/13

Autor e obra são coisas diversas e, exceto por quem gosta mais de fuxicos que de arte, o segundo é importante e o primeiro quase o não é. Talvez a contundência dessa afirmação deva-se ao paroxismo a que chegou o interesse por descobrir detalhes biográficos dos autores, numa atividade de investigação obstinada e fetichista em […]

Continue lendo sobreMachado de Assis, a crítica e o fetiche biográfico.

Andrei Barros Correia em 07/04/13

Posts relacionados:Sem posts relacionados.

Continue lendo sobreO dia que durou 21 anos.

Posts relacionados:Sem posts relacionados.

Continue lendo sobreChavez e a destruição da ignorância afirmativa e superficial por Mr. George Galloway