Crise

Andrei Barros Correia em 15/04/12

Não citarei Ortega y Gasset, Tarde, Debord e outros mais que me vêm à cabeça agora e a propósito dessa puerilidade que é a crença na impossibilidade de retrocessos. O que os autores disseram, evidentemente, é citado implicitamente; sempre é assim quando se escreve: citações se fazem a todo tempo. As massas perdem-se no aprofundamento […]

Continue lendo sobreMassas e retrocesso.

Um vídeo de um cartunista chamado Aleix Saló, que explica um pouco, e com bom humor, como se deu a crise na Espanha. Posts relacionados:Barcelona 4 x 0 Real Madrid. E os escravos tristes…Espanha: O rei João Carlos I fez tudo que não podia.Massas e retrocesso.

Continue lendo sobreEspanhistão. Crise espanhola no vídeo do cartunista Aleix Saló.

Acompanho a evolução da crise na Europa, cada vez mais temeroso das consequências políticas que se anunciam. As consequências econômicas e sociais, estas são previsíveis: empobrecimento e recuo geral das condições de vida. Não será fácil lidar com elas, pois os recuos de gentes que chegaram a níveis elevados de vida e gozam de padrões […]

Continue lendo sobreO discurso dominador reivindica cientificidade: o caso da eficiência e austeridade germânicas.

Andrei Barros Correia em 11/11/11

Posts relacionados:Massas e retrocesso.Espanhistão. Crise espanhola no vídeo do cartunista Aleix Saló.O discurso dominador reivindica cientificidade: o caso da eficiência e austeridade germânicas.

Continue lendo sobreGive him a nickel, sweetheart…

Andrei Barros Correia em 30/12/10

Por Sidarta Lamento informar, de antemão, que alterei os nomes de alguns dos personagens dessa estória, que é real, pois penso que ainda não devem estar todos já mortos. Peço perdão às famílias dos personagens, se forem reconhecidos, mas não resisti em não contar esse fato histórico, ilustrador e divertido que ouvi de um conhecido […]

Continue lendo sobreUma sessão espiritista tumultuada, em Anus Mundi.

Antes da crise financeira de 2008, Portugal tinha um défice público inferior ao limite da UE, que é de 03%. Superou-o uma e outra vez, assim como sucedeu com a Alemanha e com a França. Pecadilhos comuns, enfim. Antes da crise financeira de 2008, o risco de Portugal era considerado menor que o da Itália […]

Continue lendo sobreSoberania hipoteca-se? Ou, poderia o empréstimo vir de outro lugar?