Fernando Henrique Cardoso

Andrei Barros Correia em 13/02/12

Tornou-se lugar-comum nas discussões políticas brasileiras o tipo que foi, supostamente, esquerdista, no período inicial da ditadura inaugurada em 1964, e que, depois, mudou de idéia, porque viu a luz na estrada de Damasco. Essa gente diz que teve um dia posições de esquerda, mas que, depois, chamados a ocuparem os postos-chaves do Estado, tiveram […]

Continue lendo sobreEntreguismo e a mudança que não foi.

Não o posso chamar de ladrão – e não o faço aqui – porque não tenho provas e porque seria um tanto vulgar além da medida. Mas, de patético ou de farsante, posso? Bem, o sujeito é acadêmico das academicices franco-brasileiras. O termo qualificativo, assim junto, é de significação complexa, pois vai além da mistura […]

Continue lendo sobrePosso chamar Fernando Henrique Cardoso de patético? Ou de farsante?

Andrei Barros Correia em 19/11/11

História realmente deliciosa, contada no site de Luis Nassif, que afirma tê-la ouvido um dia desses. Dá idéia da tartufice e da artificialidade de Fernando Henrique Cardoso. Fantástica, mesmo. Um homem absolutamente incapaz de perguntar o que era aquilo que lhe serviam, porque evidentemente o sabia, embora não o soubesse. E absolutamente convicto de que […]

Continue lendo sobreFernando Henrique Cardoso não conhece Biotônico Fontoura!

Andrei Barros Correia em 31/05/11

Agora eu percebo as coisas. Fernando Henrique Cardoso, o Sábio, falava sempre em código, por Sábio, naturalmente. Deixava caírem gotas de sua sapiência, a serem recolhidas somente por iniciados que participassem do mundo da sabedoria e, portanto, pudessem decodificar a mensagem. Fernando Henrique é a figura que escreveu dois ou três livros postulando coisas difíceis […]

Continue lendo sobreFernando Henrique Cardoso, maconhófilo.

Andrei Barros Correia em 19/04/11

Não me conto no número dos que se envergonham de usar os termos direita e esquerda. E também não estou entre aqueles que evitam os termos classe dominante e dominada. Com relação a esquerda e direita, além de tratar-se de coisas distintas, é qualificação útil para falar-se de política, independentemente de qualquer carga valorativa. Ou […]

Continue lendo sobreFernando Henrique Cardoso está senil?

Andrei Barros Correia em 29/09/10

Na magnífica peça O doente imaginário, de Moliére, o médico tinha sempre a mesma receita para todos os males: purgar, dar clister e sangrar. Pouco importava a doença ou mesmo se ela existia realmente. Advertido pelo Julinho da Adelaide, em comentário à postagem Europa: baixar salários e aumentar impostos. Eles só pensam nisso?, percebi que […]

Continue lendo sobreFernando Henrique Cardoso e o doente imaginário.

Andrei Barros Correia em 07/09/10

Hoje são passados sete dias de setembro. Nessa data comemora-se a independência do Brasil, ocorrida em 1822. É preciso dizer uma obviedade: se não fora a independência, não haveria país e não haveria presidentes dele, portanto. Pois bem, Fernando Henrique Cardoso foi presidente do Brasil por oito anos seguidos. Recentemente, ele disse que o desfile […]

Continue lendo sobreA indignidade de Fernando Henrique Cardoso.

Um amigo (não lhe perguntei se poderia dar a autoria da indicação) indicou-me a leitura de um artigo de João Ubaldo Ribeiro, publicado em 25 de outubro de 1998. Na ocasião, Fernando Henrique Cardoso acabava de vencer o pleito eleitoral em que reelegeu-se presidente da república brasileira. Então, dois fatores mostraram-se essenciais para esse sucesso […]

Continue lendo sobreFernando Henrique por João Ubaldo: o senhor é um sociólogo medíocre.

Andrei Barros Correia em 28/02/10

O Chile foi palco de outro terremoto devastador, digo outro por dois motivos, primeiro porque na década de 60 ocorreu lá, o mais forte terremoto registrado, de 9,5 pontos na escala ritcher. Segundo, porque esse ano houve já, um grande terremoto de dimensões catastróficas, no Haiti. A notícia que correu o mundo ontem, foi provavelmente […]

Continue lendo sobreRemissão ou fim do mundo?