PIG

Antes de qualquer coisa, convém uma pequena advertência. Conversando com um amigo sobre o segundo pilar apontado no título, ouvi que Cabo Anselmo lembrava imediatamente delação. Sei bem disso, mas a referência a Anselmo, como inspirador de certo discurso, não tem a ver com seu caráter delator, mas com a incitação irresponsável a um esquerdismo […]

Continue lendo sobreOs três pilares do golpe: udenismo, esquerdismo Cabo Anselmo e judiciário.

Tomara que Serra passe a andar de capacete, ou pelo menos tenha medo daqueles que jogam sapatos a partir de agora. “Marcha soldado, cabeça de papel…” Desse episódio ficam algumas frases colhidas a dedo pelo Twitter sob a hashtag de #serrarojas (alusão ao goleiro chileno Roberto Rojas, que por temer a desclassificação do Chile nas […]

Continue lendo sobreE voltando pra política… Vídeo do projétil lançado contra Serra!

Andrei Barros Correia em 14/10/10

Quem age em busca de votos, ou seja, de legitimidade popular para exercer os poderes públicos em nome dos detentores da soberania, pode ser parcial em seus julgamentos. Quem, ao contrário, retira sua precária legitimidade de algumas palavras alinhadas em mau português, em um texto que atende por constituição, e que tem por função fiscalizar […]

Continue lendo sobreQuantos votos tem o ministério público eleitoral?

Andrei Barros Correia em 27/09/10

Diga-se sem maiores introduções ou arrodeios: para veículos mediáticos como a Folha de São Paulo e a revista Veja, haverá o descrédito e o código penal. Jornais, como é sabido por todos, rumam para falências, umas atrás das outras. Um e outro vão manter-se, desde que busquem algo que parece à maioria desprezível: coerência e […]

Continue lendo sobreO problema é a Rede Globo.

Andrei Barros Correia em 21/09/10

Direitismo e esquerdismo nada têm, conceitualmente, com banditismo ou mediocridade. Têm com idéias sobre a produção e a repartição dos rendimentos dos fatores de produção empregados, entre seus detentores. Assim entendidos, em uma quase impossível pureza conceptual, tornam-se categorias ontológicas inconfundíveis com outras, como a moralidade, por exemplo. Claro que a substância teórica de uma […]

Continue lendo sobreO problema da Veja é de nível, não de opção ideológica.

Andrei Barros Correia em 21/09/10

Meios como a revista Veja e o jornal Folha de São Paulo sairão menores desse surto de partidarismo agressivo, mentiroso e de baixo nível, a que se entregaram profundamente. Menores em termos propriamente mercadológicos, pois pequenos em termos jornalísticos são há muito. A revista publicou matéria supostamente jornalística em que acusou o Deputado Federal Ciro […]

Continue lendo sobreA Veja mente contra Ciro e Cid Gomes.

Andrei Barros Correia em 21/09/10

A resposta da Carta Capital ao estranho pedido de informações da procuradora geral eleitoral é o texto que se transcreve adiante. O pedido da senhora Cureau baseou-se em uma denúncia anônima. Não apontou, no requerimento de informações, de quê seria a denúncia.  Duplamente anônima, pode-se dizer. A partir de uma denúncia anônima podem-se iniciar investigações, […]

Continue lendo sobreA resposta da Carta Capital à senhora Cureau.

Andrei Barros Correia em 19/09/10

Isso incomoda. A Carta Capital é uma revista semanal brasileira, fundada pelo jornalista Mino Carta, genovês que veio ter ao Brasil ainda muito jovem. Mino tem uma mente clara, possui amplos conhecimentos e escreve elegantemente. A revista não se compreende a partir das categorias político-ideológicas direita, centro e esquerda. Ela é uma boa publicação – […]

Continue lendo sobreA máfia contra a Carta Capital.

Andrei Barros Correia em 17/09/10

A UDN nunca gostou de eleições presidenciais, porque frequentemente as perdeu, ainda que com franco apoio dos meios de comunicação de massas. Conseguiram levar Vargas ao suicídio, conseguiram tumultuar o país após a morte dele, quase conseguem evitar a eleição e posse de Juscelino Kubitschek. Levaram Jânio Quadros a tentar um golpe, porque começaram a […]

Continue lendo sobreA UDN não gosta de eleições, gosta de golpes.

Estive lendo uma postagem de Eduardo Guimarães, no blogue Cidadania, que propõe uma questão mais sutil que parece à primeira vista. Ele parte de premissas sólidas, nomeadamente que: meios de comunicação como esses do título fazem campanha franca e agressiva para o candidato José Serra; este candidato, exceto se houver uma surpresa imensa, perderá as […]

Continue lendo sobreQual a aposta de Folha, Globo, Abril e congêneres? É suicídio ou golpe?