Português

Andrei Barros Correia em 11/10/11

Há tempos a abolição dos plurais na língua falada pelos brasileiros chama minha atenção. Realmente, agrada-me bastante pensar em coisas de pouca ou nenhuma utilidade prática; assim, penso mais livremente, certo de não estar a promover coisa alguma, a propor nada. A princípio – além de um falar feio – parecia-me a renúncia a uma […]

Continue lendo sobreOs plurais foram-se da língua falada no Brasil.

O Ministério da Educação recomendou um livro chamado Por uma vida melhor, de Heloísa Ramos, para os ensinos fundamental e médio. A partir de então, uma chuva de ataques ao Ministério iniciou-se. Estrategicamente, trata-se de atacar o governo da Presidente Dilma. Os autores do ataque, além de inspiração política oposicionista, movem-se por uma extrema arrogância. […]

Continue lendo sobrePolêmica linguística e má-fé. Economista ecológico vai além de Ruy Castro.

A quem interessa fazer parecer que as coisas sempre foram da mesma maneira, ou fazer esquecer que já foram diferentes? Posts relacionados:Acabaram-se os plurais!Os plurais foram-se da língua falada no Brasil.Polêmica linguística e má-fé. Economista ecológico vai além de Ruy Castro.

Continue lendo sobreEvolução das línguas na península ibérica, desde o ano 1000 ao 2000.

Andrei Barros Correia em 04/02/11

O título não é grande exagero; foram-se embora os plurais da língua falada pela imensa maioria das pessoas no Brasil. É engraçado, mas ainda impressiono-me com isso. Não é que ache bom, nem ruim, apenas feio. Como acontece com quase tudo, o fenômeno é pouco distinto por classes sociais e econômicas, ou seja, permeia quase […]

Continue lendo sobreAcabaram-se os plurais!

Andrei Barros Correia em 20/11/10

Olívia disse-me, hoje pela manhã, que Mia Couto estaria em João Pessoa, no Espaço Ciência, às três da tarde. Lamentavelmente, ela não poderia ir, devido a essa prisão que é o trabalho. Eu, depois de verificar que não havia urgências, assumi o risco de acumular o trabalho para fazê-lo na segunda feira, ou mesmo no […]

Continue lendo sobreMia Couto em João Pessoa.

Andrei Barros Correia em 04/11/10

Pronomes pessoais oblíquos querem mandar nos verbos, mas findam por deixar clara sua sucumbência a estes. Por serem oblíquos, não é o agente a comandar a ação, antes é a ação que consente em dar ao sujeito a posição de aparente comando, consente em que fique, obliquamente, na primeira posição, antesposto ao real. Porém, manda […]

Continue lendo sobreUma gente proclítica e intransitiva.

Andrei Barros Correia em 25/09/10

Acabo de ler uma das deliciosas crônicas de Joca Souza Leão, publicadas no sítio de internet pe360graus. O texto chama-se Pernambuco em Toledo e gira em torno a um episódio passado em 1976. Na ocasião, em Toledo, Joca reconheceu um conterrâneo pela gargalhada. Pois bem, isso fez-me lembrar de uma coisa interessante e pensar em […]

Continue lendo sobreA gente tem seus pertencimentos.

Quero deixar muito claro que não se trata de fazer troça ou de manifestar reprovação eloquente e acusadora de um erro ortográfico. Realmente, quanto a essas posturas, nunca me esqueci de um trecho magnífico de Eça de Queirós, a propósito das pessoas que se apressam a acusar imediato o erro ou pequeno desvio de linguagem […]

Continue lendo sobrePresuntos cuzidos, no Makro, em Campina Grande, e outras divagações.

Andrei Barros Correia em 18/06/10

José Saramago, já velho. Um homem sóbrio. Morre sobriamente, em casa, aos 87 anos. Há vinte anos, deparei-me com dois livros dele, na casa de minha avó. Eram O evangelho segundo Jesus Cristo e A história do cerco de Lisboa. Não me produziram uma imensa sensação de descoberta literária. Alguma surpresa com a forma, alguma […]

Continue lendo sobreSaramago morreu.