Religião

A história do Brasil teve poucos momentos de poder político efetivamente escolhido democraticamente. O que se chama democracia representativa – abstraindo-se seu caráter meramente formal – vigorou de 1946 a 1964 e, depois, de 1989 até o presente. Não incluo a república velha porque aquilo não era propriamente democracia, dadas as barreiras a impedirem a […]

Continue lendo sobreBrasil: República que não é, democracia sem povo e estado sem direito.

Andrei Barros Correia em 19/05/12

Não há, no fundo, incompatibilidades entre os sistemas baseados nas crenças e aqueles baseados nas causalidades, exceto por que os primeiros evitam as armadilhas das regressões infinitas. Não há, porque ambos servem-se de crenças e de afirmaçõs de causalidades, em cadeias maiores ou menores. O dito acima não se confunde com postular a compatibilidade absoluta entre religiosidades […]

Continue lendo sobreCrença e causalidade. Religiosidade e ciência.

A ciência médica é modelo de controle social da sexualidade pior e mais perverso que as postulações axiomáticas do antinatural cristão. O antinatural oferece à luz do dia toda a sua não significação, porque o natural não é uma afirmação a que se possa contrapor outra. Era, portanto, um prisão muito menos opressiva que o […]

Continue lendo sobreControle social da sexualidade: a ciência médica é mais violenta que o antinatural cristão.

Andrei Barros Correia em 12/11/10

Ontem, tive uma conversa que me deixou impaciente, um pouquinho desconcertado e com medo de estar a tornar-me um estilita. Meu interlocutor anunciou ter crenças espiritistas e pôs-se a falar nas tais crenças, que não são novidades para mim. Até aí, tudo está muito bem, que me interesso profundamente por todos os assuntos de religiosidades. […]

Continue lendo sobreFaçam as pazes com o irracional!

Andrei Barros Correia em 06/11/10

O Bispo alemão de Roma está na Espanha. Hoje, em Santiago de Compostela, amanhã estará em Barcelona, para consagrar a Sagrada Família, a obra bela e nunca terminada de Gaudí. Ele reclamou de um secularismo agressivo que haveria em Espanha, um comentário, a princípio, sem qualquer sentido. Se com isso quis dizer que o número […]

Continue lendo sobreRatzinger faz política na Espanha.

Severiano Miranda em 31/10/10

E se, somente se, a religião realmente admitisse que não tem todas as respostas?!?! É por isso que é tão importante essa tal de inclusão digital, e a pulverização dos meios de comunicação de massa. Nada de ficar tudo nas mãos, dos Marinho, dos Civita, dos Macedo, dos… Posts relacionados:Brasil: República que não é, democracia […]

Continue lendo sobreAtire a primeira pedra aquele que nunca tentou.

O Bispo de João Pessoa, na Paraíba, Dom Aldo Pagotto, dispôs-se ao ridículo papel de gravar um vídeo – está no youtube, para quem quiser ver e ouvir tolices em tom solene – em que se diz preocupado com a candidata Dilma Roussef, que pretende alterar as bases do cristianismo e da família. Não sei […]

Continue lendo sobreDom Aldo Pagotto, um assessor de Torquemada misturado com filósofo de botequim.

Andrei Barros Correia em 11/10/10

Reproduzo adiante artigo de Frei Betto sobre Dilma Roussef, publicado na coluna Tendências/debates, da Folha de São Paulo: Conheço Dilma Rousseff desde criança. Éramos vizinhos na rua Major Lopes, em Belo Horizonte. Ela e Thereza, minha irmã, foram amigas de adolescência. Anos depois, nos encontramos no presídio Tiradentes, em São Paulo. Ex-aluna de colégio religioso, […]

Continue lendo sobreFrei Betto sobre Dilma.

Acender as fogueiras é fácil e bonito, difícil é apagá-las, depois. Nós temos, no Brasil, um défice de cidadania enorme, então as pressões sociais passam por canalizações corporativas. As religiões, que são corporações, entram no jogo para canalizar um tipo de pressão. As corporações religiosas voltam-se para a obtenção de poder social, mais ou menos […]

Continue lendo sobreFanatismo religioso e política. Comentário ao de Julinho da Adelaide.

Minha única fonte é eruditíssima e bem escrevente: Gore Vidal. Inclusive, aproveito a oportunidade para sugerir a quantos gostem de boa literatura esse magnífico romance histórico: Juliano. O Imperador cresceu em meio a padres e monges ortodoxos e teve grande ocasião de observar-lhes as intrigas e, inclusive os constantes assassinatos a que se entregavam mutuamente […]

Continue lendo sobrePrecisamos do Grande Juliano. Ou, não precisamos de ativismo religioso na política.